Carlini & Caniato Editorial traz paradidáticos sobre cultura e história de Mato Grosso

>

Muitos professores, pesquisadores e outros profissionais da Educação sentem falta de livros que enriqueçam o conteúdo dos livros didáticos. Faltam especialmente obras que falem da realidade mato-grossense, que revelem aos alunos as belezas produzidas por escritores locais, que estimulem seu interesse pela cultura e a história do Estado.

Duas coleções de livros que estão sendo lançados pela Carlini & Caniato Editorial têm a proposta de preencher esta lacuna. São obras que trazem interpretações de personagens anônimos sobre a história do Estado e do Brasil, além de textos em prosa de grandes escritores, desconhecidos ou não, mas que, por diversos motivos, não freqüentam as salas de aula e bibliotecas das escolas mato-grossenses.

A valorização do que é local já começa no nome das coleções: Ipê Roxo e Aroeira. A primeira reúne narrativas sobre a história do Estado e do País contadas por quem vivenciou fatos marcantes e, muitas vezes, pitorescos. A proposta, segundo a pesquisadora Maria Cristina de Campos, uma das organizadoras, é proporcionar aos leitores momentos de reflexão sobre a História. “Pretendemos levar esses livros a instituições de ensino de jovens e adultos (EJA). No momento da leitura, as pessoas que com certeza devem ter um conhecimento de vida muito rico, talvez até possam relatar fatos nunca antes revelados”.

O primeiro título lançado pela coleção – “O vôo nos garimpos da Amazônia”, do ex-piloto Luiz J. Mendonça, sobre sua participação no desbravamento da Amazônia, na década de 70 – já foi, inclusive, adotado pelo EJA no Centro Federal de Ensino Tecnológico (Cefet) como livro paradidático.

A coleção Aroeira está resgatando textos importantes da Literatura regional. São textos em prosa de autores consagrados, reedição de obras importantes, mas também o trabalho de escritores promissores, porém desconhecidos.

“A Japa e outros croni-contos cuiabanos”, com 27 textos do poeta, jornalista e escritor mato-grossense Benedito Santana Silva Freire, o Silva Freire, foi o primeiro da coleção a ser lançado. “Contos sem pontos”, de Zelia Diniz, está em fase de preparação.

Como todo trabalho sério, o processo de elaboração dessas coleções não foi nada fácil. É o que explica Maria Cristina. “Houve um grande esforço para reunir todas as informações, buscar arquivos pessoais, fotos. Procedimentos densos, mas que proporcionaram momentos de extremo prazer”.

Depois de tanto trabalho, o mais importante é a função social das coleções. “Na verdade, é um esforço em prol da divulgação da cultura mato-grossense, que anda tão esquecida nas escolas. Esta, aliás, é a linha de trabalho da editora em todas as suas publicações. É essencial que o estudante conheça, valorize, se identifique com a cultura local. Isso é a base para a formação de sua identidade social e política”, opinou a editora Elaine Caniato, da Carlini & Caniato Editorial.

Mais informações sobre os livros das coleções Ipê Roxo e Aroeira: 3023 5714.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s