A Madona de um grande escritor

>Ricardo Guilherme Dicke
Madona dos Páramos

Release

Sobre a obra
Doze foragidos da força policial mato-grossense se embrenham sertão adentro, a cavalo, em busca da terra da Figueira-Mãe – promessa de bem estar e justiça. Como num ritual de iniciação, a jornada pelo sertão do tuaiá é uma travessia de enfrentamentos contra o clima e a geografia daquele espaço inóspito espelhado no sertão interior das personagens. Entre os doze, a Moça Sem Nome – arrebatada do lar e da família à força – é a mulher-símbolo santa e pecadora. Embora se mantenha imaculada, suas curvas serpenteando no andar dos cavalos atraem o desejo de todos. Dos mistérios de seu destino surge a madona naquele sertão inóspito.
Madona dos Páramos é a bem-vinda segunda edição do terceiro romance na obra de Ricardo Guilherme Dicke. Numa reconfiguração do regionalismo tradicional, o elemento local, embora presente, não se curva às referências apologéticas aos aspectos e ícones locais, e é substituído pela valorização da qualidade literária que o apresenta.

Sobre o autor
Ricardo Guilherme Dicke nasceu em 1936, em Chapada dos Guimarães-MT. Seu primeiro livro, Caminhos de Sol e Lua, foi escrito em uma fazenda, onde também pintou muitos quadros expostos em Cuiabá (1961). Licenciou-se em Filosofia, especializou-se em Merleau-Ponty e cursou mestrado em Filosofia da Arte, tudo pela UFRJ. Participou do XV Salão de Arte Moderna, no Rio (1966). Estudou pintura e desenho com Frank Schaeffer e Ivan Serpa. Trabalhou como revisor, redator e tradutor; foi repórter e pesquisador do 2º Caderno de O Globo. De volta a Cuiabá, trabalhou como professor e jornalista e fez diversas exposições de pintura. Escreveu os seguintes livros: Deus de Caim (Edinova), 4º lugar no Prêmio Walmap (1968); Como o Silêncio, 2º lugar no Prêmio Clube do Livro (São Paulo, 1968); Caieira (Francisco Alves, 1978), Prêmio Remington de Prosa (1977); Madona dos Páramos (Edições Antares, 1981), Prêmio Nacional da Fundação Cultural do Distrito Federal (1979); Último Horizonte (Marco Zero, 1988); A Chave do Abismo (Fundação Cultural de Cuiabá, 1986); Cerimônias do Esquecimento (EdUFMT, 1999), Prêmio Orígenes Lessa da UBE (1995); Rio Abaixo dos Vaqueiros e O Salário dos Poetas (Secretaria de Cultura de Mato Grosso, 2001); Conjunctio Oppositorum (Secretaria de Cultura de Mato Grosso, 2002), Deus de Caim (afabrika, 2006) e Toada do Esquecido & Sinfonia Eqüestre (Cathedral/Carlini&Caniato, 2006). Recebeu da UFMT o título de Doutor Honoris Causa (2004). Seu romance O Salário dos Poetas foi adaptado para teatro e apresentado em Lisboa (2005). Dicke faleceu em 9 de julho de 2008.

Autor: Ricardo Guilherme Dicke
Edição: 1ª
Data de Publicação: 2008
ISBN: 978-85-99146-56-9 (Carlini & Caniato)
ISBN: 978-85-88504-23-3 (Cathedral Publicações)
Tamanho: 15,8 x 22,8 cm
Nº. de páginas: 474
Gênero: Ficção Brasileira
Editoras: Carlini & Caniato Editorial; Cathedral Publicações
Preço: R$ 48,90
Contatos:
(65) 3023-5714 / 5715
comercial@tantatinta.com.br

Uma resposta em “A Madona de um grande escritor

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s