Contos do Japim

>Ramon Franco


Sobre a obra

Os textos que formam o livro Contos do Japim podem ser interpretados como o esboço inicial de um trabalho literário. Após a vivência da infância, adolescência e algumas experimentações da vida adulta, me vi formado em Jornalismo e trabalhando diariamente com a notícia, com a reportagem e com as demais experiências proporcionadas pela atividade cotidiana de um repórter. A influência de autores da literatura policial, como o brasileiro Rubem Fonseca e os ingleses Conan Doyle e Agatha Christie, bem como o norte-americano Edgar Allan Poe, a técnica absorvida da crônica de Carlos Heitor Cony, o corte narrativo do norte-americano Ernest Hemingway, a fluência de Marcos Rey e Graham Greene, a inspiração em Gabriel Garcia Marquez e Orígenes Lessa me encorajaram a definir esta primeira etapa de vida literária como a fase japim. Todos os contos aqui redigidos tiveram e têm algo de japim, que é uma ave brasileira que, conforme a lenda indígena, aprende a cantar imitando o canto de outros pássaros, ao passo que também sabe imitar o canto de todas as outras aves. Este pássaro, segundo os índios, vive na companhia dos marimbondos e, coincidentemente, quando me descobri japim morava numa casa rodeada de casinhas de marimbondos. A associação foi de imediato e acredito me mantive nesta fase até 2007 e 2008.
As palavras que transformei em ficção imitando o estilo, o jeito e a maneira de outros escritores me encorajaram a partir para um estilo próprio, também foram essenciais para que eu reconhecesse as minhas fraquezas textuais e identificasse as travessias para o crescimento. Crescimento não apenas literário, mas, acima de tudo, humano. A literatura me deixou mais humano e esse fato me basta. Escrever faz parte da minha vida e para compor os textos de Contos do Japim recorri ao corrimão na escada literária de Marcos Rey, Orígenes Lessa, Machado de Assis, José Saramago, Ernest Hemingway e Guimarães Rosa, entre tantos outros mestres da literatura universal.

Sobre o autor

Ramon Barbosa Franco nasceu em 3 de junho de 1979 na cidade Paraguaçu Paulista – SP, é jornalista formado pela Universidade de Marília (Unimar). Está na imprensa desde os 16 anos, trabalha também como assessor de imprensa e arte-educador. Conquistou prêmios literários nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Entre eles o 3º lugar no V Concurso Municipal de Contos Prêmio Prefeitura de Niterói (2007), menção honrosa no concurso de contos, Tragédias Cariocas Hoje, da editora Nova Fronteira (2007) e um dos finalistas estaduais do Mapa Cultural Paulista (2009-2010), organizado pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

FICHA

Autor: Ramon Franco
Edição: 1ª
Data de Publicação: 2010
ISBN: 978-85-8009-007-9
Tamanho: 15,8 x 22,8 cm
Nº. de páginas: 88
Gênero: Contos
Editora: Carlini&Caniato Editorial
Preço: 23,00

Contatos
Editora TantaTinta/Carlini&Caniato
(65)3023-5714 / 3023-5715
comercial@tantatinta.com.br

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s