O Falar Cuiabano

Cristina Campos

CAPA 138X208 Carlini e Caniato O Falar Cuiabano

Sobre a obra
O livro apresenta um olhar para o falar cuiabano e descreve a composição cultural que constituiu essa sociedade e seu linguajar típico: a herança dos povos indígenas, especialmente os Bororo; os espanhóis da bacia do rio da Prata, no séc. XVI; e os portugueses das bandeiras paulistas, no séc. XVIII  como uma expressão da Cuiabania, no sentido de fornecer um suporte material para compreendê-la. Espera-se que, a partir dele, professores e alunos lancem-se ao divertido exercício de conhecer e registrar as peculiaridades linguísticas e culturais das suas comunidades, ou de grupos aos quais tiverem acesso onde este dialeto ainda seja falado. É direcionado aos mato-grossenses, professores, jovens alunos e sociedade brasileira em geral, interessada em cultura e linguística.

  • Na Parte 1, há conceitos como os de identidade e diferença, cultura e imaginário, e aspectos históricos significativos na composição da cultura e do falar cuiabano.
  • Na Parte 2 há o conceito de dialeto, pontuando aspectos fonético-fonológicos e sintáticos que particularizam o falar cuiabano; uma reflexão sobre a prática de colocar apelidos, típico da cultura cuiabana; o fenômeno de se levar este dialeto aos palcos; uma pitada do falar cuiabano na Literatura mato-grossense e, por último, a transcrição de alguns provérbios e situações engraçadas captados de cuiabanos antigos.

No dia 22.04.2013, a Portaria n° 017/2013, da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso, tombou o linguajar cuiabano, reconhecendo-o como patrimônio imaterial do Estado, o que significa que esse dialeto passa agora a ser oficialmente protegido pelo poder público do risco de desaparecer. O ato em si é importante, mas significa pouco se outras medidas não forem tomadas em conjunto. Uma delas – de extrema importância – é que as escolas insiram em seus currículos disciplinas que possibilitem aos alunos conhecer e estudar a história, a geografia, a literatura, a língua, enfim, os espaços e as culturas locais, cumprindo o que estabelecem os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN).

Que os leitores se inspirem e também façam suas recolhas, contribuindo para o registro da sabedoria do modo de falar e de viver tradicionais desta amada gente cuiabana!

Sobre a autora
Cristina Campos é graduada em Letras (UFMT, 1983), mestra em Educação (UFMT, 1998) e doutora em Educação (USP, 2007). Lecionou Língua Portuguesa e Literatura Brasileira no IFMT – Campus Cuiabá; aposentou-se em 2013. É autora das seguintes obras: Pantanal Mato-grossense: O Semantismo das Águas Profundas (Entrelinhas, 2004); Conferência no Cerrado (Carlini & Caniato, 2008); e Manoel de Barros: O Demiurgo das Terras Encharcadas (Carlini & Caniato, 2010). Além disso, é organizadora e revisora de diversas publicações.

Ficha técnica
Autor: Cristina Campos
Edição: 1ª
Ano de publicação: 2014
ISBN: 978-85-8009-096-3
Tamanho: 13,8 x 20,8 cm
Número de páginas: 160
Gênero: Pára-didático
Editora: Carlini & Caniato Editorial


Contatos
Editora TantaTinta / Carlini & Caniato
(65) 3023-5714 /3023-5715
comercial@tantatinta.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s